Notícias   |   Cuba

Segundo jornalista independente preso em menos de um mês

Nova York, 25 de agosto de 2005 – O governo cubano prendeu outro jornalista independente que cobriu um congresso da oposição em maio.

Albert Santiago Du Bouchet Hernández foi detido em 6 de agosto, submetido a um julgamento sumário três dias depois, e condenado a um ano de cárcere, tudo sem o conhecimento de sua família que só ficou ciente do ocorrido após receber clandestinamente uma nota do presídio. Sua prisão se soma a dos outros 24 jornalistas independentes cubanos encarcerados por seu trabalho jornalístico.

Du Bouchet Hernández é diretor da agência noticiosa independente Havana Press, que envia seus despachos para o site de Miami Nueva Prensa Cubana.

O jornalista foi preso em 6 de agosto após viajar para a cidade de Artemisa, a 60 quilômetros de Havana, para uma cobertura jornalística, segundo a esposa Bárbara Pérez Araya. Foi acusado de "desacato" ao chefe da unidade de polícia local e de resistência à prisão. O jornalista foi julgado em um tribunal de Artemisa, condenado a um ano de cárcere e enviado à prisão de Melena del Sur, na província de Havana.

Pérez Araya disse ao CPJ que as autoridades não notificaram a família sobre a detenção de seu marido, que somente pôde avisá-la em 14 de agosto. Ontem ela pôde visitá-lo por duas horas na prisão. Seu marido disse que não teve acesso a nenhum advogado, nem antes nem durante o julgamento, que as acusações foram inventadas e que o julgamento foi uma "farsa".

Assim como o jornalista independente Oscar Mario González, que está preso sem julgamento desde 22 de julho de 2005, Du Bouchet Hernández cobriu o congresso da Assembléia para Promover a Sociedade Civil em Cuba (APSC) em maio deste ano. O evento, que durou dois dias e foi a primeira atividade deste tipo organizada pela oposição, reuniu mais de 100 ativistas e convidados que debateram estratégias para criar uma sociedade democrática em Cuba.

Pérez Araya assinalou que dois agentes da Segurança do Estado advertiram seu marido em maio e julho que, caso não deixasse de trabalhar, iriam "tirá-lo de circulação". No dia da abertura do congresso da APSC, ele recebeu uma ordem para se apresentar a uma delegacia de polícia. Como o jornalista ignorou a intimação e cobriu a reunião, foi multado.

Nem Pérez Araya nem seu marido receberam cópia da sentença. Ela contou que seu marido não está conseguindo dormir na prisão. Ela levou sedativos e outros medicamentos, mas só pôde entregar comprimidos para dor de cabeça.

"Apesar dos reiterados apelos internacionais, o governo cubano continua sua ofensiva contra os jornalistas independentes", declarou Ann Cooper, Diretora-executiva do CPJ. "Condenamos a prisão de Du Bouchet Hernández, baseada em falsos pretextos, e exigimos que as autoridades o libertem imediatamente e cessem a intimidação contra a imprensa independente".



FIN

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho