Notícias   |   Venezuela

Autoridades venezuelanas prendem ex-policial pelo assassinato de Sambrano

Nova York, 24 de fevereiro de 2010O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) saúda a prisão realizada no domingo do suposto autor material do assassinato do jornalista Orel Sambrano, ocorrido em 2009 em represália por seu noticiário sobre o narcotráfico, segundo a imprensa local.

 

A polícia de investigação venezuelana, conhecida como CIPC, prendeu no domingo o ex-policial David Antonio Yánez Inciarte durante uma operação antidrogas na cidade de Morón, departamento [estado] de Carabobo, de acordo com as informações da imprensa local. Yánez permanece detido, informou a imprensa venezuelana.

O diretor da CIPC, Wilmer Flores Trosel, que participou da operação policial, disse ao jornal El Universal, de Caracas, que Yánez foi o responsável pela execução do crime.

Esta é a terceira prisão relacionada ao assassinato de Sambrano. Em 13 de fevereiro de 2009, as autoridades venezuelanas detiveram Rafael Segundo Pérez, ex-sargento da polícia de Carabobo, em conexão com o homicídio de Sambrano, em janeiro de 2009. Pérez foi acusado de pistolagem e de conspiração para cometer crimes, informou a polícia à imprensa local. José Manuel Luque Deboín foi preso em julho, segundo a imprensa venezuelana, também em conexão com o assassinato. Ambos ainda estão na prisão, mas ainda não foi marcada uma data para o julgamento.

As autoridades locais também investigam se o empresário Walid Makled planejou o assassinato. As autoridades emitiram uma ordem de prisão em fevereiro de 2009 contra o empresário, mas acredita-se que ele tenha deixado a Venezuela. Colegas do jornalista disseram ao CPJ que Sambrano havia publicado várias reportagens investigativas que mencionavam Makled.

“Recebemos com satisfação a prisão do suposto autor material do assassinato de Orel Sambrano”, disse Carlos Lauría, coordenador sênior do programa das Américas do CPJ. “Agora, as autoridades venezuelanas devem garantir que todos os envolvidos na morte de Sambrano, incluindo os autores intelectuais, sejam processados”.

Sambrano, 62, era diretor do semanário político ABC de la Semana e da Rádio América. Fontes venezuelanas disseram ao CPJ que o jornalista era conhecido por suas investigações sobre o narcotráfico e seus comentários sobre a política local. Em 16 de janeiro de 2009, um agressor em uma motocicleta atirou contra Sambrano em Valencia, situada 150 km  a oeste de Caracas, segundo a investigação do CPJ.

 

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho