Notícias   |   Honduras

Jornalista sequestrado é encontrado morto em Honduras

Também disponível em English, Español

Anibal Barrow (AFP)

Nova York, 11 de julho de 2013 - O corpo do jornalista de rádio hondurenho Aníbal Barrow foi encontrado na terça-feira na margem de uma lagoa perto da cidade de San Pedro Sula, de acordo com reportagens da imprensa. Barrow havia sido seqüestrado de seu carro em 24 de junho, segundo as informações da imprensa.

"Lamentamos a morte do jornalista Aníbal Barrow e enviamos nossas condolências a seus familiares, amigos e colegas de trabalho", disse o coordenador sênior do programa das Américas, Carlos Lauría. "A violência letal contra a imprensa e o interminável ciclo de impunidade está comprometendo a democracia em Honduras. As autoridades locais devem investigar a fundo este crime e levar os responsáveis à justiça".

Roberto Ramírez, procurador-chefe do país, disse na quarta-feira que as autoridades haviam identificado um corpo desmembrado e queimado como sendo o de Barrow através de testes forenses.

O chefe da polícia nacional, Juan Carlos Bonilla, disse que quatro pessoas foram detidas pelo crime e que vários outros suspeitos foram identificados, segundo a imprensa. Ramirez disse que não iria discutir possíveis motivos porque a investigação ainda está em curso.

Reportagens informaram que o carro de Barrow foi interceptado em 24 de junho por homens armados não identificados em San Pedro Sula. Barrow, um proeminente apresentador de um talk show na TV Globo chamado "Aníbal e Nada Mais", estava viajando com a sua nora, neto e motorista. Os agressores assumiram o controle do carro e em seguida libertaram todos os passageiros, exceto Barrow.

Várias horas depois, a polícia encontrou o carro abandonado em outra parte da cidade, com um buraco de bala em uma porta e sangue dentro do veículo, disse ao CPJ um representante da Globo. A família não recebeu nenhum pedido de resgate, segundo as informações da imprensa.

A Rádio Globo, que é afiliada à Rede Globo, tem sido alvo de ataques graves e múltiplas interrupções de transmissão depois de informar criticamente sobre as consequências da deposição do presidente Manuel Zelaya em 2009. Jornalistas locais disseram ao CPJ que o programa de Barrow era principalmente de comentários e que ele tocava em eventos atuais, incluindo crime e política, mas não fazia investigações aprofundadas.

Um clima de violência e impunidade generalizada fez de Honduras um dos países mais perigosos da região, segundo a pesquisa do CPJ. Em maio, dois jornalistas foram atacados por homens armados no norte da cidade de La Ceiba.
Para mais informações e análises, visite a página do CPJ sobre Honduras.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho